quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Reflexão para o final da noite!



"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."

Fernando Pessoa

Com certeza !



A forma de escrita correta é com certeza.
Com certeza: locução adverbial de afirmação

A palavra concerteza está errada. Nunca deverá ser escrita uma só palavra, mas sim duas palavras separadas, formando uma locução adverbial de afirmação. Chamamos de locução adverbial duas ou mais palavras que juntas atuam como um advérbio, alterando o sentido do verbo.

Exemplos:
Esta é, com certeza, a melhor feijoada que eu já comi!
Para o jogo de futebol de sábado, pode contar comigo com certeza.
Com certeza, poderemos acreditar que você fará um bom trabalho.

Atenção!
A locução adverbial com certeza pode expressar tanto uma convicção quanto uma probabilidade. É, ainda, utilizada popularmente como expressão entusiástica.

Exemplos:
Eu, com certeza, gostei da apresentação. (convicção)
Não se preocupe, com certeza ele gostou da apresentação. (probabilidade)
- Você gostou? – Com certeza! (expressão entusiástica)

Dicas de qualidade textual




Alguns pontos são imprescindíveis para se expressar, no papel, como manda o figurino, são eles:

Clareza
As ideias devem ser expressas de forma mais claras possíveis; para tal é preciso manter-se focado no que se deseja transmitir e não encher o texto de "linguiça" , isto é, dizer apenas o que se pretende, sem muitos rodeios.

Coerência
Não se pode sair escrevendo qualquer coisa que dá na "telha". Concatene suas ideias de forma a não enveredar para outras linhas do pensamento, ou seja, organize-as estabelecendo o parâmetro de início, meio e fim.

Concisão
Use sempre frases e períodos curtos.

Coesão
É bom saber usar os conectivos no lugar certo, isto é, para isso é necessário primeiro conhecê-los. Sejam esses coordenativos ou subordinativos.

Impessoalidade
Evitar particularizar; mas sim, generalizar sempre o assunto.

Ambiguidade
Evitar os sentidos dúbios das palavras.

Cacofonia
Evitar os sons desagradáveis.

Pontuação
É preciso saber que a vírgula é uma pausa pequena pra se poder respirar; o ponto-e-vírgula é uma pausa maior que a vírgula e menor que o ponto. E assim, é bom estar a par das regras da pontuação, porém a sua própria respiração lhe dirá o momento certo.

Ortografia
Procure estar por dentro das reformas, pois muita coisa que aprendemos será extinto a partir de agora. É necessário também fazer visitas frequentes ao dicionário.

Termos vagos
É preciso evitá-los.

Gírias
Nem pensar em usá-las; a não ser na linguagem coloquial oral.

Ideologias e dogmas
Não se deve propagá-las em hipóteses nenhuma.

Abreviações
Evite-as sempre.

Provérbios e ditados populares
Nem pensar em usá-los; a não ser que venham com citações bíblicas ou com as devidas referências.

Evitar Exageros
É de mau gosto usá-los, assim evite-os.

Imparcialidade
Não se deve exprimir sentimentos e emoções.

Humildade
Jamais pensar que é dono da verdade.

DEZ DICAS DE COMO ESCREVER UM BOM RESUMO




1. Faça uma síntese das ideias e não das palavras;

2. Seja claro, preciso e objetivo;

3. Deixe fora o que for irrelevante, apegue-se somente aos aspectos principais do texto;

4. Use apenas as informações essenciais;

5. Atente-se ao leitor, pois ele terá melhor compreensão se houver economia de palavras;

6. Objetive o seu texto sempre para o leitor, porque é ele quem dará as coordenadas;

7.  Resumos de trabalhos técnico-científicos devem ser breves (em geral de 100 a 500 palavras) sem omitir o essencial;

8.  Deve-se preferir o uso da 3ª pessoa e do verbo na voz ativa. Exs.: Apresenta-se; Aplicou-se etc.;

9.  Seu resumo deve conter palavras-chaves, relacionadas ao assunto;

10. Por fim, seja fiel ao texto, não coloque a sua opinião a respeito do tema.

Hoje é Dia do Engenheiro Ambiental!



PARABÉNS a todos vocês que dedicaram , dedicam e continuarão se dedicando à preservação do nosso bem maior: A NATUREZA.

pensamento do dia!


"Reconstruir é sempre inventar."

Eça de Queirós

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Não existe melhor abrigo... BOA noite!


Dica: SÓ PARA COMEÇAR




Qual a diferença entre a princípio e em princípio

A diferença é sutil.  
A princípio diz respeito ao início de algo
Em princípio, por outro lado, diz respeito à convicção que leva alguém a tomar certas decisões. Exemplos: A princípio, ela não aceitava minhas ideias, mas agora aceita. 
Em princípio, ela não aceita minhas ideias, ou seja, ela realmente não concorda comigo e tem suas razões para não concordar. 
Em princípio é o mesmo que por princípio. 

A princípio é só para começar...

Boa tarde!


Tulipas para alegrar seu dia... BOM DIA!


segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

LÍNGUA MORTA, UMA VÍRGULA!




Dizem que o latim morreu e foi enterrado em Roma. Não é bem verdade. Ainda utilizamos palavras e expressões como curriculum vitae, campus (universitário), modus vivendi, habeas corpus, quorum, lato sensu, causa mortis, Corpus Christi, idem, forum, habitat, (fecundação) in vitro etc. (etc., aliás, é abreviatura de et caetera). E atenção para o plural de curriculum e campus. É preciso obedecer à gramática latina: curricula vitae e campi universitários.

Dica:SABER PERDER



Os verbos pedem preposições específicas para expressar seu significado, e errar nessa escolha atrapalha tudo. Perder é um exemplo. Qual é o uso certo? Falar meu time perdeu do seu ou perdeu para o seu? Perder de está errado. As regras do jogo mandam o seguinte: quem perde perde para alguém. O Brasil perdeu para a Holanda. Já o verbo ganhar, ao contrário, exige a preposição de. Eu ganhei do meu adversário, o Brasil ganhou da Holanda, ganhamos de todos.

Dica: CONFUSO HORÁRIO



Sol a pino, há quem olhe o relógio e diga: Meio-dia e meio. Este segundo meio está errado. Meio do quê? A propósito, ninguém fala duas horas e meio, mas duas horas e meia (hora). Está armado o confuso horário. À noite, quando os dois ponteiros novamente se unem, falamos meia-noite e meia, não é? O certo, portanto, é meio-dia e meia. A meia hora noturna tem os mesmos trinta minutos da meia hora diurna.

Dica: FATO CONSUMADO



Em cardápios ou convites é comum ler a expressão consumação mínima. A ideia é que a pessoa tem de consumir um valor mínimo em bebidas e petiscos. Mas o substantivo que corresponde ao verbo consumir é consumo. Consumação, por sua vez, corresponde ao verbo consumar, que significa chegar ao fim, à perfeição. Embora o erro esteja muito arraigado, o certo mesmo, no caso de restaurantes e bares, é falar em consumo mínimo.

Dica : acentuação - URUBU,TATU E CRU




É comum ver palavras oxítonas terminadas em u com a letrinha acentuada. Talvez para dar maior ênfase, lemos numa placa de trânsito: Pacaembú. Mas aqui o acento é totalmente dispensável. Nem urubu, nem tatu, nem caju, nem Botucatu, nem Aracaju, nem cru, nem mesmo surucucu precisam dele. Bem diferente é o caso das oxítonas que terminam com u integrando um ditongo, como: baú, Jaú ou Esaú.

poetizando...




Lutar para transformar sua realidade não é insanidade;
Insano é aceitar tudo calado;
Insano é reprimir os sentimentos;
Insano é enterrar seus ideais;
esmagar seus sonhos...
sufocar seus desejos;
Insano é anular-se...e,
simplesmente," abrir mão "de viver.

Silvana Gonçalves Luiz
Poesia: Sentimento Abstrato

palavra do dia...


nubarrão
(nuvem, na forma nub-, do latim nubes, -i, nuvem + -arrão)
s. m.
Grande nuvem.

Excelente segunda-feira...


sábado, 26 de janeiro de 2013

Ah, os livros...



Os livros são janelas abertas para a nossa imaginação, corredores de acesso a outros tempos e lugares. Ler um livro é ter o prazer de realizar uma viagem, ou várias viagens, dentro de nós mesmos, viajar no tempo e no espaço, sem sairmos do mesmo lugar. Termos consciência disto, bom, julgo que é algo que nos faz pensar no quanto somos privilegiados quando abrimos um livro e nos deixamos levar pelas palavras de quem o escreveu.

[Emílio Miranda]

Ah, a leitura!!!!!



"Um homem deve ler segundo o que as suas inclinações o conduzem; porque o que ler como tarefa pouco bem lhe fará." 
 Lin Yutang 

Reflexão para o finalzinho da tarde...



''O que é que se encontra no início?
O jardim ou o jardineiro?
É o jardineiro.
Havendo um jardineiro, mais cedo ou mais tarde
um jardim aparecerá.
Mas, havendo um jardim sem jardineiro, mais cedo
ou mais tarde ele desaparecerá.
O que é um jardineiro?
Uma pessoa cujo os sonhos estão cheios de jardins.
O que faz um jardim são os sonhos do jardineiro.''

Rubem Alves

palavra do dia


sandice
 s. f.
1. Necedade.
2. Parvoíce.
3. Dito tolo.

Quer crescer? Dica de uma dieta mais que especial...


 Inclua um livro na sua dieta!


Um bom sábado para todos!!!!



"Só é sensível, quem tem marcas à flor da pele.
Isso significa, dor...
Nunca ouví dizer que sensibilidade brotasse de pedras !!!"

G.Fernandes

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

pensamento do dia!


"Mude suas opiniões, mantenha seus princípios. Troque suas folhas, mantenha suas raízes."

Victor Hugo


poetizando...


De simples janelas
vejo requintadas paisagens,
sou cinegrafista de caminhos
a captura de poesia.

Renas Barreto


segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

E AGORA, JOSÉ?



O vocativo é a palavra que serve para chamar alguém ou um animal. Se estiver no meio da frase, vem entre vírgulas. Se estiver no início, põe-se uma vírgula depois. Se vier no final, põe-se uma vírgula antes
Vejamos: José, e agora? E agora, José? Mas, José, e agora?

SOMATÓRIO OU SOMATÓRIA?




A força do uso pode um dia vencer, e transformar o que hoje é considerado errado em norma a ser obedecida por todos. Por enquanto, porém, o certo continua a ser somatório e não somatória, como se ouve dizer e se vê escrever. O somatório das taxas, dos votos etc. ainda é o modo correto.

NUNCA 'SUBE CONJUGÁ' VERBO...



Dizia alguém:
"Eu nunca sube conjugá verbo." Estava na cara. 
Mas é uma questão de esforço e de memória. 
O verbo crer, por exemplo, na terceira pessoa do singular do pretérito perfeito, conjuga-se assim: ele creu. 
O verbo requerer, na mesma pessoa, também no pretérito perfeito: ele requereu. 
E o verbo saber na primeira pessoa do singular, no mesmo tempo: eu nunca soube conjugar.  

SILÊNCIO NO TRIBUNAL!



Certa vez, em pleno julgamento, uma senhora dirigiu-se ao juiz, dizendo: Meretríssimo! O advogado interveio: o certo é Meretíssimo! 
E o Juiz, desconsolado, gritou: 
"Silêncio no tribunal! Agradeço os elogios, mas o certo é Meritíssimo! Estou aqui pelo mérito de estudar. Por que vocês não consultam as dicas gramaticais do BLOG PORTUGUÊS NA TELA?

PARANOIA ORTOGRÁFICA



 As piores pegadinhas vêm da ortografia. Somente a leitura atenta e o uso freqüente fazem-nos acertar. Aí vão cinco exemplos do que é correto: usufruto e não usofruto, iogurte e não iugurte, leite coalhado e não cualhado, irrequieto e não irriquieto, beneficência e não beneficiência.

O TEMPO NÃO PARA



Hoje é hoje
Amanhã é depois de hoje. 
E depois de amanhã (sem hífens) é daqui a dois dias. 

E como voltar para o passado? 
Ontem foi antes de hoje. 
Antes de ontem é anteontem. 
E antes de anteontem? 
Trasanteontem. Por incrível que pareça.

SANTO ANTÔNIO, AJUDE-ME!



Convencionou-se usar São para santos cujo nome começa por uma consoante que não seja o h: São Jorge, São José, São Pedro... Já Santo antecede os que têm nomes iniciados por vogal ou h: Santo Alberto, Santo Antônio, Santo Henrique. 

Agora, há exceções: Santo Tomás de Aquino, Santo Tirso, Santo Jó... 

Que todos os santos nos ajudem a casar as palavras certas.